Saiba mais sobre as particularidades da Certificação DPBR

Como você já deve ter ouvido falar, no Brasil, a Lei Geral de Proteção de Dados surgiu como uma legislação que conectou e forneceu uma base conceitual sólida para a aplicação de outras inúmeras leis setoriais, federais, decretos e normativas já existentes, que tratavam sobre privacidade e proteção de dados no país.

Nesse sentido, é possível afirmar que, no Brasil, a LGPD é aplicada conjuntamente a diversas leis, normas setoriais e resoluções como, por exemplo: Código de Defesa do Consumidor, a Lei do Cadastro Positivo, o Marco Civil da Internet e o seu decreto regulamentador, a resolução 4.658/2018 do BACEN, a instrução 612/2019 da CVM entre tantas outras que já existiam antes da vigência da LGPD. Todas essas normas fazem parte do ecossistema regulatório brasileiro sobre Privacidade e Proteção de Dados, e devem ser interpretados em conjunto e à luz daquilo que a LGPD dispõe. Por isso é de vital importância que o profissional que deseja atuar nessa área saiba manusear esse ecossistema como um todo, e, não somente a LGPD.

A prova elaborada pelo Data Privacy Brasil é a primeira certificação brasileira sobre o tema, e por que isso é importante? Bem, porque isso quer dizer que ela aborda as especificidades do ecossistema regulatório do nosso país, o que acontece por meio da exposição de situações práticas e casos que já foram objeto de disputa no Brasil. Assim, o conhecimento avaliado não fica na superfície dos principais conceitos e artigos da LGPD, pelo contrário, a Certificação Data Privacy Brasil examina em profundidade a capacidade técnica e prática do candidato! Tudo isso sem deixar de levar em consideração a legislação internacional, notadamente a General Data Protection Regulation (GDPR).

Dentre alguns motivos capazes de distinguir o exame do Data Privacy Brasil de outras provas, elegemos como um dos principais o fato de que a construção da nossa prova é feita de modo a colocar o candidato na posição de consultor de dados de organizações do setor público e privado. Isso quer dizer que, em algumas questões da prova, o(a) candidato(a) é direcionado(a) tomar decisões complexas sobre quais devem ser ações para assegurar que a sua organização esteja em conformidade com o ambiente regulatório.

Isso é muito importante, porque eleva a possibilidade de uso da prova para atestar a capacidade do profissional certificado em relação à sua atuação prática e não somente em relação à teoria e legislação sobre PPD, avaliando também suas habilidades de gerenciamento de problemas, riscos e crises cada vez mais recorrentes no dia a dia de organizações de todos os tamanhos.

Ainda, é preciso evidenciar que o banco de questões é renovado constantemente, de modo a manter os enunciados ancorados em temáticas e casos atuais, e, também, que a linguagem da prova é pensada para a ser acessível à todo tipo de profissional e não somente a advogados, aqui não trabalhamos com juridiquês.